Amor e paixão: há diferença?


Falta de discernimento tem feito muitos jovens lançarem suas vidas nas mãos de pessoas erradas

Resolvemos incluir esse assunto por sentirmos a necessidade dos jovens tomarem conhecimento da grande diferença do ponto de vista bíblico, entre o mais puro amor e a paixão.

A falta desse discernimento tem feito muitos jovens lançarem suas vidas nas mãos de pessoas erradas, e essa tem sido a causa da infelicidade conjugal e de tantos dissabores.

Isso sem falar dos inúmeros corações despedaçados por um amor falso ou uma paixão desenfreada, que têm levado muitos até o cúmulo de trocar a salvação eterna por um sentimento terreno. Sabemos que o diabo tem feito muita gente cair na armadilha do coração enganador. Muitos têm se apaixonado e pensado que isso é amor, enquanto outros julgam que por não estarem apaixonados não estão amando.

Mas o que é a paixão?

A paixão é uma emoção levada a um alto grau de intensidade, sobrepujando a lucidez e a razão. Em outras palavras: a paixão é uma emoção tão forte, tão intensa, que chega a ponto de ultrapassar até a própria razão.

A paixão é um sentimento possessivo que objetiva satisfazer somente a si mesma, não se importando com mais nada. A pessoa apaixonada perde o senso do ridículo, não tem equilíbrio, não raciocina direito e acaba se entregando à loucura de um ato diabólico.

É óbvio que somente uma pessoa que se encontra distante da presença de Deus, chega a tal ponto, pois é impossível que alguém dirigido pelo Espírito Santo caia nessa armadilha satânica. Muitas vezes a paixão leva seus prisioneiros a matar ou morrer. Vejamos, por exemplo, o caso de Davi. Ele chegou ao extremo de sua paixão. Mandou matar um dos seus mais fiéis soldados só para ficar com sua mulher. Urias foi chamado ao palácio e ordenado a passar uma noite em casa. Ele era tão fiel ao rei Davi que chegou a recusar-se a dormir com sua própria mulher, porém, essa fidelidade lhe custou a vida:

”... A arca, Israel e Judá ficam em tenda; Joabe meu senhor e os servos de meu senhor estão acampados ao ar livre; e hei de eu entrar na minha mulher? Tão certo como tu vives a tua alma, não farei tal cousa”. (2 Samuel 11:11)

Por causa de uma paixão demoníaca, no final de 1994, uma mulher apaixonada, rejeitada pelo amante por ter dois filhos, um de quase um ano e o outro de aproximadamente três anos, resolveu se desfazer deles para viver com o amante. Amarrou as crianças no interior do seu automóvel e jogou-o num lago, como tantos outros exemplos que infelizmente temos visto todos os dias em jornais e TV.

Quantos têm sido os fatos reais de verdadeiras atrocidades movidas pela paixão? Não resta a menor dúvida que este tipo de paixão é movida por um espírito demoníaco capaz de qualquer coisa.

Já o amor é totalmente inverso da paixão. Enquanto a paixão é dirigida para si mesma, o amor é dirigido para o outro, ele é o sentimento que expressa o querer bem à pessoa amada. A Bíblia define o amor da seguinte maneira:

O amor é paciente, é benigno, o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo, sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba...” (1 Coríntios 13:4-8)

Não se deixe levar por uma paixão. Procure buscar em Deus a direção para a sua vida sentimental.

(O Perfil da Mulher de Deus - Bispo Edir Macedo)

Um comentário:

  1. Amiga,

    Que o Espírito Santo continue inspirando materias maravilhosas como essa.

    Muito obrigada pela sua dedicação!!!

    Beijocas.

    Bela

    ResponderExcluir

Fico muito feliz quando você deixa um comentário:

Venha nos acompanhar...