Quem aguenta uma pessoa grudenta?


Relacionamentos baseados na insegurança e total dependência do outro tendem a não dar certo. Veja se você não está deixando seu companheiro (a) sufocado (a) com atitudes que, até certo ponto, podem ser características de pessoas possessivas

Por Jaqueline Corrêa
jaqueline.correa@arcauniversal.com


Pense na seguinte situação: Você sai para trabalhar e dez minutos depois de dar tchau, seu companheiro (a) liga e pergunta onde está. Depois, quando chega ao destino, outra ligação – desta vez para saber se chegou bem. Na hora do almoço, uma mensagem pelo celular deseja que o almoço seja maravilhoso. E, finalmente, após o expediente, uma última ligação só para constatar se o pobre coitado já está perto de casa.
Seja sincero, você consegue aguentar alguém tão inseguro, que só consegue viver se estiver no seu pé 24 horas por dia? Talvez não. E isso nada tem a ver com excesso de amor, mas uma falta de segurança tão grande, que impede o outro de respirar, viver e até mesmo de amar a pessoa que age assim.



Se você não quer acabar com o relacionamento, que pode estar ameaçado por algumas atitudes infantis e inseguras e talvez nem saiba o quanto isso sufoca o outro, veja o que a psicóloga, especialista em psicodrama terapêutico, Marina Vasconcellos, fala a respeito do assunto.


Desgrude-se
Há muitos relacionamentos que não dão certo porque ou o homem ou a mulher torna-se ‘pegajoso’ demais. A ideia de que pessoas ‘grudentas’ podem atrapalhar a relação pode ser considerada verdadeira?



Sim. Ninguém gosta de uma pessoa grudada o tempo todo. Isso tem a ver com insegurança. E é ruim porque esse tipo de pessoa precisa constantemente do outro, o que fica cansativo. É aquela pessoa que acha que na relação deve haver muito beijinho, muito abraço, e isso incomoda o outro.
 

Cresça e amadureça
Quando a pessoa submete-se muito ao outro, ela corre o risco de perder a identidade ou até mesmo o respeito?





Sim, porque se o outro demora um pouco a chegar, ela já fica desconfiada. A preocupação dela é a vida do outro. Ela vive em função do outro. Isso acaba com a admiração do parceiro por ela. Porque é como se ela não fizesse nada de importante na vida. E torna-se uma pessoa sem graça. Tem que existir admiração por parte do parceiro por ela. E isso tem a ver com crescimento pessoal, amadurecimento. Tem gente que não cresce, o que faz o companheiro perder o interesse por ela.
 

Não sufoque seu parceiro
Que motivo (s) uma pessoa tem para ‘viver no pé da outra’, até chegar ao ponto de sufocar o relacionamento?


É possível que isso seja devido a um modelo que recebeu em casa. Pode ser uma repetição de padrão. Também o motivo pode advir de traumas, mas há que se analisar a história de cada um. Além disso, pode ser uma característica de baixa autoestima; de uma pessoa que não se impõe ou que é possessiva. Essas pessoas são carentes demais porque precisam do outro. Alguém que age assim pode ter sido pouco amado ou pouco valorizado na infância. Possivelmente, faltou um olhar de estímulo dos pais, e a pessoa precisa ficar escondida atrás de alguém, pois não tem um posicionamento próprio.
 

Seja seguro
Quais as características de uma pessoa ‘grudenta’?



É aquela pessoa que quer se misturar com o outro. Tem a ver com possessividade. Essa pessoa não tem autonomia de fazer nada sozinho e precisa do outro para fazer tudo. Isso é muito ruim, pois cada pessoa precisa de sua individualidade. Há uma hora que essas atitudes acabam cansando o outro.
 

Desta forma, é possível que essa pessoa não se conheça direito. Ela tem medo de explorar novas coisas e é insegura. O pior é que ela não percebe, e é preciso que alguém lhe fale, lhe dê um toque. A individualidade, portanto, é muito importante.
 

Tenha seu espaço
O que é, então, ser individual sem ser egoísta?




É ter suas coisas independentemente do outro. É ter seus amigos, seu espaço, suas coisas; sair com osamigos. É fazer uma atividade que lhe agrade: uma aula de canto, um curso, etc. É ter o espaço de cada um mantido, preservado. Há momentos em que o casal faz coisas juntos, mas tem que ter o espaço dosdois – do casal e do indivíduo. Mas tem gente que abre mão de tudo na vida pelo outro e pode acabar se frustrando.


Invista na própria felicidade
Quais as dicas que esse tipo de pessoa pode seguir para que se torne mais segura?



Ela deve olhar para si própria, investir nela mesma, fazer coisas que lhe deem prazer. Também deve procurar atividades que lhe agradem, e até fazer terapia, porque assim vai se conhecer melhor. Essa pessoa precisa reconhecer seus valores, investir na própria felicidade, que é independente da felicidade do outro.

Um comentário:

  1. Ola Vanessa

    Que blog lindo vc tem. Adorei os posts inteligentes e informativos e por isso ja estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir tambem.

    Bjooooooooooo............

    http://amigadamoda.blogspot.com

    ResponderExcluir

Fico muito feliz quando você deixa um comentário:

Venha nos acompanhar...